terça-feira , outubro 17 2017
Inicio / Destaque / Chega a Diocese mais um Missionário da SAGRADA FAMÍLIA

Chega a Diocese mais um Missionário da SAGRADA FAMÍLIA

Padre Vanderley Souza Chega a Paróquia Nossa Senhora das Dores e estará à frente do trabalho com a juventude de Rio Verde

Padre Vanderley é gaúcho, nascido no interior do Rio Grande do Sul, trabalhou até os 17 na agricultura, decidiu então, que a sua vocação era para o sacerdócio, resolveu comprar uma bicicleta e começou seus estudos. Ainda jovem entendeu que o mundo era aonde ele queria ir para ajudar as comunidades mais pobres e daí começou a trabalhar com os missionários da Sagrada Família no Amazonas, onde ficou seis anos trabalhando sobre as águas. Retornou, trabalhou em Santa Catarina por seis anos, foi para o Rio Grande do Sul onde ficou dois anos. Chegou em Rio Verde, vindo do Moçambique, na África, onde sua congregação possui duas missões, considerado por Pe. Vanderley, o maior desafio que já viveu.

Padre Vanderley afirmou que já havia visto coisas em nosso Brasil que jamais pensou que existisse, mas na África viu coisas muito maiores e pode sentir que quem vai para aquele país volta diferente. Disse que durante todo esse tempo que ficou lá, voltou muito mais preparado para assumir outros desafios.

O missionário conta que pegou muita malária e em Santa Catarina teve que fazer trinta e cinco exames. “Eu peguei malária vinte vezes e tenho dito que os comprimidos fazem parte deste processo, pois foram mais de seiscentos que eu tomei. Com essa experiência eu pude experimentar nossa fragilidade humana. Depois do tratamento em Santa Catarina eu vim para Rio Verde, escolhi esta cidade por ficar mais próximo de alguns parentes que residem em Mineiros-GO”, afirmou.

Ao chegar à Rio Verde o padre conta que viu aqui uma terra boa, onde, junto à comunidade poderá produzir muitos frutos. Segundo ele, entre tantas opções que teve na juventude, o seu sonho foi ajudar as comunidades mais pobres para que pudesse semear a palavra de Deus e lá fazer com que essas pessoas ficassem animadas. Depois disso, quando começou a fazer as missões e esse chamado veio, começou a perceber que o seu lugar era realmente na Palavra e Deus tem lhe dado esse dom porque consegue expressar simplesmente o que sente no coração das pessoas que vêm para acolher a palavra. “Eu acho que o que é bonito é quando você é feliz com a vocação que escolheu e nela você consegue realizar o que é maior, que é o projeto de Deus. Isso faz com que a gente se torne gratificante no lugar onde chega, independente das condições que você tem, mas sente que ali é terra de missão”, explicou.

Para o padre Vanderley vocação é um dom que Deus concede e fortalece naquelas pessoas que abraçam esse dom de bom grado e com certeza não se arrependem daquilo que fazem. Ele diz que muitas pessoas o questionam dizendo que quem segue essa vocação não ganha dinheiro, mas ele afirma que o dinheiro para essas pessoas não é o mais importante, pois a dedicação que tem e o trabalho que faz é para o crescimento do bem nos seres humanos, então, é isso que faz com que a Igreja cresça, com que ele também cresça junto. Padre Vanderley afirma ter como inspiração o Apóstolo Paulo quando afirma: “Que o outro cresça e eu diminua”. Seu desejo é fazer junto ao povo algo que faça com que o Reino de Deus possa crescer como uma semente e que esse fermento que é colocado gere bons frutos. Isso é o que o faz sentir-se gratificado.

Em Rio Verde o missionário conta que teve o prazer de chegar e ser bem acolhido e hoje está regando uma sementinha que outros plantaram. “Talvez não colheremos os frutos de imediato, mas veremos os resultados no coração daquelas pessoas que nos querem bem”, lembra.

Em relação ao trabalho com a juventude, as experiências do padre serão aquelas trazidas ao longo de sua história. “Eu sempre gostei de trabalhar com a juventude em todas as paróquias que eu já passei e essa experiência na África foi importante porque lá eu pude trabalhar com mais de seiscentos jovens e lideranças. Chegando em Rio Verde, no primeiro mês eu percebo que aqui a juventude também tem sede e gostaria de se encontrar. Então, eu me perguntei: Por que não abraçar essa causa e fazer juntos, com os grupos que temos aqui, render frutos? E começamos aqui na Paróquia Nossa Senhora das Dores, esse trabalho”, destacou.

Na paróquia Nossa Senhora das Dores as celebrações para a juventude já vêm acontecendo e o objetivo do padre, com o seu trabalho nesse setor, é fazer com o jovem se sinta mais acolhido e valorizado. “Às vezes nós falamos que o jovem não tem espaço em nossa sociedade, mas se não lutarmos para que o jovem ocupe esse espaço, nós não teremos uma Igreja renovada e jovem. Então, o que nós desejamos é isso, que o jovem de Rio Verde ocupe seu espaço, que ele tenha um trabalho e possa desenvolver juntos, trabalhando na unidade, pois enquanto eu faço o meu trabalho de forma isolada eu não tenho uma quantidade e nem uma qualidade, mas o que importa para nós é que existem pessoas aqui interessadas em fazer boas ações e eu acho que é isso que nos move. Eu acredito que eu não vim aqui por acaso”, concluiu.

Em relação ao Mês Vocacional, Padre Vanderley destaca que as famílias precisam refletir mais sobre a vocação religiosa e incentivar os filhos a buscar essa vocação, o que infelizmente está faltando nos dias atuais.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *